A Brasília que não lê

Quem são esses brasileiros analfabetos residentes no DF?

Leia Mais

Projeto Leitura

O Projeto Leitura, tem como objetivo vencer um dos maiores desafios encontrados pelos professores e amantes da literatura: Criar o hábito da leitura.

Leia Mais

Projeto LEF

Projeto LEF Confira artigos, trabalhos, Vídeos, Fotos, projetos na seção do Letramento no Ensino Fundamental.

Leia Mais

Um professor lacrou a boca de uma estudante de 11 anos com fita adesiva porque ela teria se recusado a parar de conversar durante a aula, de acordo com o Daily Mail.

Elise Smith, aluna da escola William Allitt, de Derbyshire, Inglaterra, ficou com os lábios colados por cerca de 15 minutos.

Furioso, o pai da menina resolveu apresentar uma queixa contra a escola: "Ele deveria ter pedido para que ela saísse da sala. Eles não podem encostar um dedo nas crianças", disse Marc Smith.  

Os responsáveis pela instituição chamaram a ação do professor de equivocada e informaram que ele se desculpou com a jovem e sua família, mas nenhuma ação disciplinar foi tomada contra o docente.

"O professor pediu desculpas, mas isso não foi suficiente. Eu ouvi falar que coisas semelhantes aconteceram em outras escolas e os professores foram suspensos, então porque o mesmo não acontece aqui?", acrescentou o pai da jovem.

"Nós trabalhamos junto com a autoridade local para conduzir uma investigação, e a ação apropriada foi tomada", disse um porta-voz da escola.

O pai relutou em mandar a filha de volta ao colégio e só o fez porque Elise estava com saudades dos amigos.

SAIBA MAIS

 

Fonte : Terra

 

Filipinas: bebê tem boca lacrada com fita por chorar alto

Professora cola fita adesiva na boca de alunos barulhentos"

 

Saiba como prevenir e combater bactérias resistentes da boca

Add comment

Security code
Refresh

Uma palavra depois da outra


Crônicas para divulgação científica

Em 02 de Setembro de 2017, chegamos a 4855 downloads deste livro. 


:: Baixar o e-book para ler em seu Macintosh ou iPad
:: Baixar PDF


Novos Livros

Perfil

Nasci no remoto ano de 1945, em São Lourenço, encantadora estação de águas no sul de Minas, aonde Manuel Bandeira e outros doentes iam veranear em busca dos bons ares e águas minerais, que lhes pudessem restituir a saúde.

Leia Mais

Publicações

Do Campo para a cidade

Acesse:

 

Pesquisar